/, Ecologia, Sustentabilidade/Conheça o jornal japonês que vira planta após ser descartado na terra

Conheça o jornal japonês que vira planta após ser descartado na terra

Com o uso de suportes digitais para leituras, o papel vai ficando cada vez mais de lado. Esse já é o presente e, sem dúvidas, o futuro. Mas, enquanto a indústria de papel ainda causa impacto para milhares de árvores é preciso pensar em alternativas e é isso que um jornal do Japão fez ao desenvolver um material que pode ser descartado na terra após ser lido.

A editora do famoso periódico japonês The Mainichi, chamado de “Jornal Verde”, criou uma publicação compostável que foi realizada em parceria com uma agência publicitária.

O papel é reciclado, possui sementes de ervas e flores em sua composição e é impresso com tinta 100% vegetal e atua como fertilizante. Por isso, depois de lido, o jornal pode ser partido em diversos pedaços e plantado novamente em um vaso com terra. Aí deve ser tratado como qualquer planta e ser regado até se transformar em uma planta. Completando, assim, o seu ciclo natural e evitando toneladas de lixo que são produzidas diariamente pela indústria do papel.

jornal verde

Apesar do papel semente não ser uma novidade – aqui mesmo no Brasil há empresas que trabalham com a técnica -, é interessante ver a ideia sempre abraçada no mercado por uma grande companhia cuja principal função é informar.

O jornal ecológico tem feito muito sucesso. Com tiragem diária de mais de quatro milhões de cópias, a companhia também realiza ações de conscientização nas escolas.

E o jargão jornalístico “plantando notícias” ganhou outro sentido no país.

Fontes: Ciclo Vivo e Exame

Por | 2017-08-04T00:01:21+00:00 agosto 24th, 2017|Ciência, Ecologia, Sustentabilidade|0 Comentários

Sobre o Autor:

A ECO Educacional foi criada em 2006 com o objetivo de desenvolver e fornecer equipamentos didáticos e periféricos, implantar infraestrutura em laboratórios e realizar cursos laboratoriais. Atuamos em instituições privadas ou públicas de ensino técnico ou superior que ministrem disciplinas experimentais, laboratórios e centros de pesquisa.

Deixe um Comentário