Uma lâmpada movida a algas e capaz de despoluir o meio ambiente parece até coisa de filme de ficção científica, mas já é realidade. Criada pelo bioquímico francês Pierre Calleja, a nova lâmpada funciona com uma lógica simples: um tubo cheio de algas que, através da reação natural, realizam a fotossíntese, gerando energia e luminosidade, enquanto são abastecidas pelo próprio CO2 do ambiente exterior.

A ideia é usar o equipamento para substituir as lâmpadas tradicionais em espaços públicos, já que ele pode eliminar os gastos com eletricidade e ainda ajudar a reduzir os níveis locais de poluição. Seu funcionamento é totalmente independe das redes de energia e a sua eficiência é enorme.

De acordo com o inventor, que trabalha com uma equipe na empresa FermentAlg, cada lâmpada de algas é capaz de absorver anualmente, em média, uma tonelada de carbono, a mesma quantidade capturada por 150 a 200 árvores. Isso sim que é energia renovável!

Fonte.