Pesquisadores do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) desenvolveram uma película de embalagem feita a partir de proteínas do leite (a caseína) que, além de biodegradável, é comestível.

Apresentada durante a Reunião Nacional da Sociedade Americana de Química, as embalagens a base dessas proteínas bloqueiam melhor o oxigênio que as convencionais, o que ajudaria a prevenir a deterioração dos alimentos e evitar o desperdício durante a distribuição ao longo da cadeia alimentar.

Para tornar a embalagem mais resistente à umidade e temperaturas elevadas, os pesquisadores incorporaram pectina cítrica na mistura. Aditivos nutritivos como vitaminas e probióticos poderiam ser incluídos no futuro. Ela não tem muito gosto, dizem os pesquisadores, mas também poderiam ser adicionados aromas.

“As aplicações de revestimentos para este produto são infinitas”, diz Laetitia Bonnaillie, coautora do estudo. “Estamos testando aplicações em embalagens de alimentos comestíveis, a exemplo de palitos de queijo embalados individualmente”, explica.

Fonte