Como parte do plano para tornar o país um dos líderes mundiais na adoção de práticas de redução do impacto ambiental, a França homologou uma nova lei que proíbe a venda de utensílios plásticos descartáveis no país.

Agora, os fabricantes destes produtos têm alguns anos pela frente para se adaptar às novas medidas de produção que exigem que até 50% da matéria-prima utilizada seja de origem vegetal e biodegradável. Estes materiais incluem substâncias como amido de milho, amido de batata, fibras têxteis, de celulose ou de bambu.

A medida, aprovada mês passado mas que começa a valer a partir de 2020, segue a lei que proibiu no país o uso de sacolas plásticas aprovada em julho e é parte do projeto de Transição Energética para o Crescimento Verde.