Durante anos, as máquinas e os robôs com consciência, capazes de executar feitos notáveis, povoaram o imaginário coletivo e hoje eles já fazem parte da nossa realidade e, inclusive, influenciam no nosso dia a dia, sendo utilizados em alguns setores como a área de saúde e finanças.

Antigamente, as máquinas eram capazes de fazer cálculos, depois surgiram os modelos com os sistemas programáveis, como os utilizados pelos celulares, por exemplo, e agora, o último passo é a tecnologia capaz de processar informações e de aprender com elas de forma semelhante ao cérebro humano, sem que seja programada, essa é a computação cognitiva.

Uma das gigantes no assunto, a americana IBM desenvolveu com o supercomputador Watson, concebido para diagnósticos clínicos e projetado em 2007 por uma equipe de mais de 30 desenvolvedores, é o computador mais potente do mundo, capaz de processar 15 trilhões de bytes, o equivalente a 2800 computares juntos.