Depois de um período difícil, a editora parisiense Presses Universitaires de France teve que escolher entre fechar as portas ou mudar a forma de fazer negócio e se adaptar ao mercado. Eles escolheram a segunda opção.

Na Librairie des Puf, livraria tocada pela editora, o estoque é quase nulo. Isso porque ao invés de gastar milhares de euros imprimindo livros que talvez não fossem vendidos, a editora digitalizou todo o processo e imprime livros na hora, on demand. Com uma impressora chamada Espresso Book Machine, a editora imprime os livros na hora, de acordo com a preferência dos clientes que escolhem os títulos por um catálogo digital.

Com um catálogo que inclui mais de 5.000 mil livros, esse novo modelo de negócio beneficia tanto a livraria, que não precisa se preocupar com estoque e pode operar em lugares bem pequenos, como o cliente que passou a ter à disposição títulos raros, que não eram impressos antes por falta de rotatividade. Ou seja, nessa história de livraria expressa, todos saem ganhando: a editora, os leitores e, principalmente, a cultura.