/, História, Sem categoria/APRENDENDO A ENSINAR

APRENDENDO A ENSINAR

No Dia Nacional da Alfabetização, trouxemos alguns exemplos de como a educação é tratada ao redor do mundo, para inspirar nosso país que já melhorou muito quando o assunto é ensino, mas ainda tem bastante a aprender. Confira, abaixo, as iniciativas mas bacanas e eficientes adotadas por diferentes países que contribuem na educação e formação não apenas de alunos, como também de seres humanos melhores.

 

Argentina e França

Nestes dois países, alunos de 11 a 18 anos são levados ao cinema pela escola de graça. Depois do filme, o professor debate em sala de aula aspectos como narrativa, fotografia, iluminação e diversos outros elementos fotográficos. Não é à toa que a sétima arte nestes dois países é muito forte, e sempre conquista os mais importantes prêmios do cinema mundial. Mas o principal objetivo da iniciativa é aumentar a bagagem cultural dos alunos, acender o interesse profissional na área e manter o público apreciador de filmes nacionais para que a indústria continue forte.

 

Finlândia

Na Finlândia, o modelo de ensino é completamente diferente. As salas de aula geralmente têm poucos alunos e os professores são altamente qualificados e lecionam de uma forma personalizada, focando mais na dúvida de cada aluno que no desenvolvimento geral da sala. Além disso, os finlandeses não setorizam o ensino por matérias, eles pegam um mesmo assunto e o analisam sob diferentes pontos de vista, envolvendo várias disciplinas de uma só vez, usando, por exemplo, a II Guerra Mundial para ensinar não apenas história mas também matemática, com cálculos sobre balística. O resultado são alunos com o pensamento crítico muito melhor desenvolvido.

 

Japão

Além das matérias básicas, o Japão tem cursos de economia doméstica, caligrafia, educação física e sociologia, e conta com aulas opcionais de artes, música e esportes. Desde 2016, os alunos também participam de discussões sobre política nacional e de simulações de eleições. Tradição mais antiga ainda é a de os próprios alunos e professores limparem a classe depois da aula – não há faxineiros nas escolas -, e a criançada também recebe aulas de defesa pessoal contra eventuais intrusos, chamadas sasumata. O objetivo é deixar o aluno preparado tanto para os desafios do dia a dia quanto para entrar na universidade.

Por | 2016-11-14T09:00:13+00:00 novembro 14th, 2016|Educação, História, Sem categoria|0 Comentários

Sobre o Autor:

A ECO Educacional foi criada em 2006 com o objetivo de desenvolver e fornecer equipamentos didáticos e periféricos, implantar infraestrutura em laboratórios e realizar cursos laboratoriais.

Atuamos em instituições privadas ou públicas de ensino técnico ou superior que ministrem disciplinas experimentais, laboratórios e centros de pesquisa.

Deixe um Comentário