Quando as impressoras 3D chegaram, ficamos maravilhados com o que elas podiam fazer. Quer dizer, traduzir um desenho do computador direto para uma forma real!? Agora, e se acrescentássemos a essa tecnologia mais um “D”, o que ele seria capaz de fazer?

Essa pergunta já foi respondida lá na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Pesquisadores desenvolveram a impressora 4D, uma tecnologia que dá movimento aos objetos criados. Os primeiros testes desenharam uma flor e, para isso, foram usados um gel bastante absorvente e fibras de celulose presentes na própria planta. Os movimentos são adquiridos quando o produto é imerso em água (veja o vídeo no post).

Segundo os próprios pesquisadores, ela pode ser usada, por exemplo, para auxiliar máquinas a se consertarem sozinhas e para reproduzir tecidos orgânicos que substituam órgãos de pessoas com problemas de saúde. E você, o que acha desta nova tecnologia?

Fonte