Quando Marchus Thompson ficou paraplégico após um acidente de sky, seu melhor amigo Kevin Halsall queria desenvolver uma cadeira de rodas que revolucionasse as atividades e o estilo de vida de seu companheiro. Após alguns anos de estudo, o engenheiro neozelandês veio com uma ideia que, sem dúvidas, é revolucionária para quem necessita deste objeto de locomoção. A ideia que era inicialmente uma forma de ajuda, hoje concorre ao Prêmio de Inovação do país e está entre os finalistas.

O projeto de Halsall tornou-se concreto e é bastante surpreendente. Em primeiro lugar, para dirigir o ‘Ogo’ não é necessária a utilização das mãos para comandar o movimento, além disso, a cadeira chega a uma velocidade de 20 km/h, número bastante alto se comparado ao alcançado pelas categorias “analógicas” das cadeiras.
Com estas novidades incorporadas, o recurso permite que os cadeirantes tenham as mãos livres para praticarem esportes ou realizarem qualquer outra atividade manuais enquanto se movem. Para dirigir o “veículo” basta utilizar a inclinação do corpo. Sem dúvidas, Halsall conseguiu por meio de sua invenção adicionar liberdade e empolgação à vida de muitas pessoas deficientes que gostam de manter-se ativas.
Ainda não há preço fixo para as novas cadeiras, mas o inventor pretende mantê-las acessíveis e pelo preço mais baixo possível para dessa forma possibilitar que todos que precisam e têm interesse possam adquirir a invenção. O aparelho é alimentado por bateria e pode ser também dirigido manualmente, caso necessário.
Um sistema de troca de rodas também possibilita que a cadeira percorra superfícies mais instáveis, como areia e terra irregular. Para garantir a segurança, o projeto contém estabilizadores que permitem que os usuários peguem coisas do chão sem que tombem para qualquer um dos lados.

Fonte