//Sete investigações espaciais que melhoraram a nossa vida

Sete investigações espaciais que melhoraram a nossa vida

O jornal espanhol El País fez uma lista com sete exemplos de investigações espaciais que já melhoraram a vida para os seres humanos. O inventário foi feito para comemoração de 15 anos de presença de astronautas na Estação Espacial Internacional, que acontecerá dia 20 de novembro deste ano.

O método de produção de água potável no espaço usado nos confins da Terra

Produzir água potável no espaço é absolutamente essencial e o método pode ser utilizado na Terra, em zonas onde o acesso a este bem é mais complicado. Tudo começou quando a NASA criou máquinas que filtram e purificam a água para as utilizar em missões espaciais. Posteriormente, a Corporação de Segurança, uma empresa que colabora com a agência norte-americana, decidiu aplicar o sistema em alguns países do planeta Terra.

Detectar o cancro da mama através de um robô programado para cirurgias no espaço

Um robô programado pelo Centro de Invenção e Inovação Cirúrgica, da Agência Espacial Canadense, conhecido como IGAR, foi construído para utilização em procedimentos cirúrgicos no espaço – mais precisamente em pacientes que estejam em órbita a mais de 320 quilômetros da Terra. Porém, este robô também pode ser utilizado em ensaios clínicos, para detectar o cancro da mama. O IGAR funciona dentro de uma máquina de ressonância magnética para ajudar a identificar de forma precisa o tamanho e a localização do tumor. Se for confirmado o seu potencial, permitirá também aos cirurgiões a realização de movimentos mais precisos durante as biópsias.

A telemedicina e as unidades de ultrassom ao serviço das pessoas

Para os astronautas que se encontram na Estação Espacial Internacional, a 420 quilômetros da Terra, ter um médico por perto nem sempre é possível: mas é preciso que ele esteja disponível caso necessário. Daí surgiu um estudo de Diagnóstico Avançado de Ultrassom na Microgravidade. A investigação permitiu o desenvolvimento de protocolos que possibilitam que se realizem procedimentos complexos de forma rápida, com especialistas à distância. O método pode ser exportado para a Terra em zonas remotas, onde o acesso a cuidados médicos é menor.

Foto Divulgação

Foto Divulgação

O braço robótico que opera tumores “incuráveis”

Mais uma criação da Agência Espacial Canadense: o neuroArm, um braço robótico programado para trabalhos pesados e a manutenção da Estação Espacial Internacional. Mas o neuroArm teve outras aplicações, benéficas para os seres humanos: já permitiu, segundo o El País, operações cirúrgicas a 35 pacientes com tumores considerados impossíveis de operar – entre eles Paige Nickason, uma paciente que tinha um tumor no cérebro.

A investigação que ajudou ao tratamento da osteoporose

A perda de peso e de massa muscular dos astronautas presentes na Estação Espacial Internacional levou à realização de um estudo, que procurava compreender os mecanismos da osteoporose. Daí à criação de um medicamento para o tratamento da doença – o Prolia – foi só mais um passo.

Monitorizar as catástrofes naturais através de imagens vindas do espaço

O sistema que captura imagens da Terra a partir do espaço permite a monitorização de territórios abrangidos por catástrofes naturais. O ISERV, captura cerca de 3 imagens da Terra por segundo, cobrindo todos os dias mais de 90% das regiões habitadas do planeta. O sistema pode ser usado em catástrofes naturais como inundações, erupções vulcânicas e incêndios, entre outras, fazendo a monitorização das áreas afetadas por estas catástrofes em todo o planeta.

O estudo dos fluidos, e a sua aplicação no diagnóstico do VIH

Na Estação Espacial Internacional foi realizada uma experiência sobre o movimento de um líquido em diferentes superfícies no espaço, para compreender o efeito da microgravidade nos fluidos. Os resultados originaram um novo dispositivo que permite fazer exames médicos na Terra – e que oferece a possibilidade, garante o El País, de melhorar o diagnóstico do vírus da imunodeficiência humana (HIV), causador da AIDS, em regiões mais remotas.

Por | 2015-11-04T12:56:30+00:00 novembro 4th, 2015|Sem categoria|0 Comentários

Sobre o Autor:

A ECO Educacional foi criada em 2006 com o objetivo de desenvolver e fornecer equipamentos didáticos e periféricos, implantar infraestrutura em laboratórios e realizar cursos laboratoriais. Atuamos em instituições privadas ou públicas de ensino técnico ou superior que ministrem disciplinas experimentais, laboratórios e centros de pesquisa.

Deixe um Comentário